Cada vez mais jovem da Geração Y procuram oportunidades que aliem trabalho, viagem e experiências de vida

WhatsApp Image 2018-10-04 at 14.48.07

Comando News – Cresce o número de pessoas que se interessam por viagens em troca de trabalho no Brasil. De acordo com a Base de Dados Internacional dos EUA Census Bureau, a Geração Y (Millenials) representa um quarto da população mundial, ou seja 1,7 bilhão de pessoas. Segundo um estudo da Nielsen realizado entre 2013 e 2016, que analisou as atitudes de mais de 30.000 consumidores on-line em mais de 60 países os Millennials são uma geração social, voltada para a comunidade e que valoriza a voz individual.

Ainda segundo a Nielsen, essa geração cresceu em meio à fragmentação da mídia, por isso são muito hábeis em atividades multitarefas e são imersos em suas vidas digitais e físicas. Valendo-se dessa facilidade em realizar várias tarefas ao mesmo tempo, muitos jovens, estão buscando oportunidades que reúnam várias coisas ao mesmo tempo como viajar e trabalhar em troca de hospedagem e alimentação ao mesmo tempo.

Esse é o caso de Priscila Kamoi, nômade digital e blogueira de viagens. “Sempre tive o sonho de morar no Rio de Janeiro e trabalhar em um hostel. Gosto muito da atmosfera de aventura desses lugares. Muitos hostels aceitam voluntários para trabalhar em diversas áreas: recepção, tours, festas, pintura, jardinagem, ensino e em troca oferecem hospedagem e, às vezes, alimentação”, conta Kamoi.
WhatsApp Image 2018-10-04 at 14.47.59
A ideia desse tipo de viagem vem de encontro com o conceito de economia criativa, na qual o dinheiro em si fica em segundo plano e o que importa de fato é a troca de serviços. Muitas pessoas e empresas têm visto neste tipo de situação uma forma mais econômica de adquirir novas experiências. “Viajar como voluntaria é uma forma ideal para ficar mais tempo em um lugar. Qualquer pessoa pode fazer esse tipo de viagem. Dependendo da vaga, os hostels pedem que você fale inglês, ou que você entenda de fotografia, marketing, redes sociais, ou seja comunicativo. Depende do que o hostel precisa no momento”, explica Priscila Kamoi.
Para realizar uma viagem de voluntariado é necessária uma única coisa básica: disposição. “Viajar como voluntário é trocar suas habilidades por algo intangível, porém muito importante e que não tem preço, experiências de vida”, finaliza a nômade digital.

WhatsApp Image 2018-10-04 at 14.48.00

Algumas dicas para arrumar as malas e partir para uma viagem de voluntariado

• Relacione suas habilidades que podem ser trocadas pela sua estadia, se você é comunicativo, entende de redes sociais ou entende de fotografia e jardinagem, por exemplo.
• Entre em contato direto com um hostel ou instituição que você tem interesse em ser voluntário. No caso de Priscila, ela entrou em contato direto com o hostel Ipanema Beach, no Rio de Janeiro – http://hostelipanemabeach.com/ e se candidatou a uma vaga.
• Existem sites especializados que conectam voluntários aos hostels e instituições que adotam essa prática pelo mundo, como o Worldpackers – https://www.worldpackers.com/pt-BR

Publicado por Comando News

Consultoria em comunicação promove ações de relacionamento para fortalecimento de imagem institucional por meio de assessoria de imprensa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: